sexta-feira, janeiro 03, 2014

Sem grande valor

Espanta-me a quantidade de informação que existe na Internet, um benefício para a humanidade, sempre disponível e na maior parte completamente grátis. Consoante os nossos interesses, podemos saciar a procura e criar novos motivos para a nossa curiosidade. O facto de poder existir a informação e da mesma estar acessível transforma-me num leitor ocasional de temas que nunca iria ter possibilidade de sequer tentar conhecer.  Cito como referência algumas leituras recentes: o gosto de Nietzsche pela música e o seu antagonismo com Wagner pelo contributo regressivo na evolução desta expressão artística; as diversidades Banks-Gabriel e o relevo do simbolismo de Alejandro Jodorowsky no movimento cultural da época; as origens de Carl Jung e o seu efeito na génese da Psicologia Analítica. Tudo temáticas sem grande valor, excepto o de tornarem-me mais capaz de perceber o mundo e os seus perpétuos movimentos no sentido do decaimento. Pequenos passeios não no escuro, mas na luminosidade do conhecimento donde um bronzeado meio intelectual oriundo das praias da informação e do saber, começa a aparecer.   

Sem comentários: