JCT Music

sábado, novembro 01, 2014

Fausto - muito melhor que o toni "carreira" antunes



Soldados de Baco

Estes vêm feros e amotinados 
Aqueles andam bravos muito acossados
Esses são mais grossos em algazarras 
Os outros mais tamanhos estendem as garras
Os bandarras , os bailarinos 
Os baptizados, os babuínos
Os levantados os paladinos 
Todos provocam malditos aos gritos

E alguns rapinam de pulo escaramuçam larápios
(bate bate sobre a terra sobre os céus)             
Todos à uma muzungos cafres e arábios
(pega pega pelas almas pelos céus)
Uns sem lei nem costumes mostram as partes traseiras
(bate bate sobre a terra sobre os céus)
E tanta gente responde mostra outras partes grosseiras
(pega pega pelas almas pelos céus)
Andam em roubos e desnudam os que vão derradeiros
(bate bate sobre a terra sobre os céus)
Dão de focinhos no chão dados por golpes rasteiros
(pega pega pelas almas pelos céus)

Vivem de muitas vidas na vida, hão-de viver como soldados de Baco na terra
Nunca a paz é a paz toda enfeitada de guerra
Enfeitada como um qualquer deus
Toda enfeitada de breu

Estes saltam brutos como bugias 
Aqueles fazem cruas carniçarias
Esses muito indígenas e carniceiros 
Os outros sanguinários muito estrangeiros
Os quadrilheiros os esgrimidos os acossados os carcomidos
Os vergastados os corrompidos --- todos em sangue lavados aos brados

E alguns dão Santiago dão nos bons e nos maus
(matas mato Valha-nos Nosso Senhor)
E todos enchem o ar o céu de pedras e paus
(mata esfola misericórdia Senhor)
Uns varados dos peitos do espinhaço à outra parte
(matas mato Valha-nos Nosso Senhor)
Tantas cabeças ao talho à força dos bacamartes
(mata esfola misericórdia Senhor)
Vão fustigados os braços as pernas e outros lugares
(matas mato Valha-nos Nosso Senhor)
Dão nos contrários uivando golpes mortais aos milhares
(mata esfola misericórdia Senhor)

Morrem de muitas mortes e à morte
Hão-de morrer como soldados de Baco na terra
Se nunca a paz é a paz toda enfeitada de guerra
Enfeitada------------como um qualquer deus
Toda enfeitada de breu

E alguns afrouxam calados calados pelas gargantas
(matas mato Valha-nos Nosso Senhor)
Todos vomitam de si chuvas de setas e lanças
(mata esfola misericórdia Senhor)
Uns vão de crânios abertos com as medulas de fora
(matas mato Valha-nos Nosso Senhor)
tantas ossadas e carnes que a lama engole e devora
(mata esfola misericórdia Senhor)

Morrem de muitas mortes e à morte
Hão-de morrer como soldados de Baco na terra
Se nunca a paz é a paz toda enfeitada de guerra
Enfeitada------------como um qualquer deus
Toda enfeitada de breu

Sem comentários: