JCT Music

domingo, outubro 11, 2015

Uma outra Lídia

“Nocturno”
Alexandre O’Neill










A borboleta azul e coruscante 
sacode o cheiro leve dos canteiros, 
e as carícias no seio consistente 
esticam o pescoço das cegonhas. 

Assim ficamos, Lídia, eróticos, 
os corpos engastando no sorriso 
das horas e das coisas, adejando 
sob o silêncio, fixo, dos astros. 

E sobre nós, os ramos, 
sacudidos pelo vento, 
largaram frutos densos. 

Sem comentários: