sábado, agosto 06, 2016

Eu poderia ter escrito isto...


"É a marca autoral que me fascina. Não só na poesia. Pode ser numa empresa. Alguém que cria uma empresa e a mesma é única. Isso é uma marca de criação, de génio, de alguma coisa que está em nós e nós trazemos para o mundo. O que é a autoria? É acrescentar o mundo em qualquer coisa que ainda lá não estava. Seja a escrever, a dizer poesia, ou em qualquer outra coisa. Os autores que me marcam e em relação aos quais vou atrás, são esses. Os que têm o cunho da autoria. Podia pensar nas coisas que li, por exemplo, quando li Dinis Machado - que se calhar é um nome que diz nada ou quase nada a grande número de pessoas – num livro que sai a seguir ao vinte e cinco de Abril e que se chama “O que diz Molero” - eu fiquei de pernas para o ar com esse livro. Andei em cambalhota vários dias seguidos, até aterrar outra vez. O Dinis Machado é alguém que escreve esse livro e praticamente desaparece, a não ser nos livros policiais. Fora do policial, a obra “O que diz Molero” é a única que marca. Mas é um livro que eu acho que alguém, depois de fazer aquilo, pode ficar descansado. É tão grande que não precisa de fazer mais nada."

...porque é exactamente isto que eu penso... e porque foi exactamente isto que me aconteceu... e exactamente na mesma altura...e tenho exactamente a mesma idade que quem o escreveu...enfim, apenas sincronismos. Está sempre a aconTecer-me.

Sem comentários: